Por favor, seja gentil

{para ler ouvindo o Lenine cantar, clique aqui}


Eu lhe avisei que não queria novos términos. Ou você entrava para ficar ou era melhor que desse meia volta. Você ficou. E mesmo assim, depois, resolveu partir. Ficou o tempo suficiente de formar saudade.


Não me importa os seus motivos. Pensando bem, a gente não ia dar certo mesmo. Mas eu avisei.

Não farei de você um término comum. Não farei de você uma dor. Por isso, de vez em quando, você terá que me aturar falando sobre assuntos aleatórios. E, por favor, seja gentil.

Não estou preparada para perder mais alguém. Mesmo que você mude de lugar, eu disse que seria pra sempre. Então, fique por perto, junto com as lembranças boas.

Sê inteiro


Ninguém é de ninguém. Eu sou só minha e caminho por um caminho que escolhi. Vivo uma vida preparada por mim a caminho daquele lugar que imaginei ser o meu.

Desisti de muito. Parece fraqueza, mas, às vezes, desistir é mais difícil do que persistir. Deixei para trás aquilo que racionalmente não me fazia bem. Mas que emocionalmente, era tudo o que eu precisava.

Ou quase tudo. Antes, eu precisava ser eu. Precisava ser minha. Ser inteira. 

E para me encontrar de verdade, eu precisei partir. Ir para longe, levando comigo aquilo que restou de minha alma, deixando para trás aquilo que me roubou de mim.

Eu não me mereço pela metade. Ninguém merece alguém pela metade. Ninguém é feliz assim, nem eu nem você. Por isso eu fui, talvez a vida me traga de volta, ou não. Até lá, viva a sua vida, vá se encontrar e ser inteiro também.

Deixe-me ir, preciso andar. Vou por aí a procurar, rir pra não chorar (Preciso me encontrar, Cartola)

Pote de Sorrisos

Eu estava tomando café da tarde ontem com uma amiga (benefícios de quem trabalha em casa) e ela me mostrou um vídeo no Youtube sobre o Pote de Sorrisos.

Funciona assim, a cada dia, você coloca um papelzinho dentro do pote com um acontecimento que lhe fez sorrir naquele dia. A moça do vídeo estava abrindo o pote dela do ano de 2015, eu aqui vim mostrar o meu pote de 2016.

Esse potinho era da minha bisavó, "furtei" ele da minha mãe, será mais especial ainda guardar sorrisos nele!
Yes, farei um para mim. E convido você a fazer um pra você também. Acho que vai ser legal para a gente. Por dois motivos:

1) Às vezes, estamos envolvidos em situações ou fases ruins da vida e não reparamos em pequenos milagres do cotidiano. Coisas que merecem ser contempladas e lembradas. Acho que relembrar o que aconteceu durante o dia será um excelente exercício, principalmente de agradecimento.

2) Acredito que, no final do ano, relembrar pequenos (ou grandes) sorrisos de meses atrás será enormemente gratificante e nos poupará daquela sensação de tempo perdido.


Bora lá, então? Me conta se você for fazer? Se quiser pode até mandar uma foto lá pela fanpage do blog!

Especial e específico

Cada pessoa ocupa um lugar especial e específico em nossa vida. É bem clichê, eu sei. Mas é bem isso também.

Essa é daquelas verdades que você ouve a vida toda, mas só toma consciência dela quando um start vem. Por um motivo ou outro, ele vem. É tipo um sentimento: aahh, é bem assim mesmo.

Por mais que você tenha irmãos e mantenha com eles uma boa relação, eles não substituirão um amigo, aquele que vem de outro berço e preenche um espaço no seu coração. Da mesma forma que a companhia de um amigo não substitui a companhia de um amor. Entende?

Não que um seja melhor do que o outro ou que seja mais necessário, mas é assim. Por exemplo, minha avó morreu há um pouco mais de um ano. Ela era a criatura mais "fora da lei" que eu conheci. Não tinha cara de vó, não se vestia como vó, fez faculdade (qual vó você conhece que fez faculdade?) e, definitivamente, não sabia cozinhar. Sabe aquela coisa, comida de vó? Então, eu não sei. Enfim, apesar de ser desse jeito só dela, ela se foi e deixou uma saudade que nenhum outro preencherá. Estando ou não nos parâmetros de vó.

Essa teoria serve também para pessoas dentro de uma mesma classificação: esse amigo não tampa o buraco daquele outro amigo; esse irmão não tampa o buraco daquele outro.

Da mesma forma que você, sim você mesmo, preenche um lugar importante dentro de si. Tem coisas que eu só consigo comigo, tem coisas que só eu posso fazer por mim. E tem horas que só a minha companhia pode fazer bem pra mim.

Talvez você esteja pensando que este texto é o mais der que este blog já publicou, talvez eu até concorde com você, mas ele é importante para dizer que você é único na vida de alguém, do mesmo jeito que alguém é único na sua vida e que você cumpre um papel importantíssimo na sua vida. É a lei. É dessa forma. E eu precisava te contar isso. Sinta-se importante e dê a devida importância para todos aqueles que estão perto de você.


{DIY Coletivo} Amigo oculto

Chegou a hora de revelar o meu amigo oculto da edição de Natal do DIY Coletivo!

Pensei nesse passo a passo porque fui bisbilhotar o blog da minha amiga (que eu não conhecia) e vi que ela adora lousa! Recentemente, ela reformou a sua cozinha e tem louzinhas por todos os lados, achei que ela iria gostar, rs. 

Se você já visitou os blogs participantes, já sabe quem é. Se você ainda não foi, lá no final do post, tem todos os links! E a minha amiga secreta é a Davenne Costa, do blog A Casa da Vila!


O passo a passo é bem simples, bem simples mesmo! Nem tem o que explicar muito, rs.

Materiais: 

Círculo de mdf ou papel paraná/couro
Tinta PVA preta
Fita de cetim
Botões
Pincel, lixa e cola quente

Passo a passo:

1) Corte os círculos do tamanho que vc desejar.


Obs. Eu fiz com papel, mas queria mesmo era ter feito com mdf para ser melhor na hora de apagar. Sabe aqueles descanso para copo (aqueles que a mãe da gente obriga a usar para não manchar a mesa)? Então, esses círculos são usados para fazer esses descansos, e você compra em loja de peças de mdf. Mas eu não encontrei aqui na minha cidade. Acredita? Deve ser por causa do final do ano, estava faltando em todas as lojas.

2) Faça um furo neles.


Eu usei esse alicate de ponta fina, mas você pode usar o que tiver aí que dê certo. Se for de madeira, você vai precisar de uma furradeira nesse momento. Aliás, se você estiver usando madeira, esse é o momento de dar uma lixadinha. Eu usei uma lixa de unha só pra acertar as beiradas e as sobras de papel que ficaram no furo.

3) Pinte com a tinta preta.


4) Espere secar.


Lembre-se de pintar dos dois lados e, se for preciso, repetir a demão de tinta.

5) Passe a fitinha, amarre e cole o botão com a cola quente.




Pronto! Agora é só escrever com giz e colocar na árvore!

Peguei a árvore da minha irmã emprestada, rs. Olha lá traz os presépios que os meus sobrinhos fizeram! 




Esses são os outros blogs que participaram do amigo oculto, eu de você ia em todos conferir os outros presentes. Ainda dá tempo de preparar lindezas para a sua ceia:

Thais - blog Coisas da Thais
Cinara - blog Nayart's
Davenne - blog A Casa da Vila
Manuela - blog Simplichique
Layde - blog Senhora Bagunça DIY
Rayssa - blog Gaveta Mix
Amanda - blog Casa Cafeína
Mariana - blog A Casa eh Sua
Ana - blog Casa Doce Casa
Sâmia - blog Joias do Lar
Fernanda - blog Casa da Dona Santa
Kellita - blog Forma Expressa
Aline - blog Pequeno Grande Apê

A Equipe SOS Decor:
Erica - blog HomeSweetener
Carla - blog The Blue Post
Juliana - blog Casa de Amados
Karen - blog Pot-pourri da Karen
Stephany - blog Feita Com Muito Esmero
Thamyrez - blog Casa Design Studio



Davenne, um abraço virtual para você! Um Feliz Natal pra todo mundo que participou do amigo oculto! E um beijo para as meninas da Equipe SOS Decor! 








Este post faz parte do projeto DIY Coletivo da Equipe SOS Decor. Pra ficar por dentro de todas as blogagens, ou participar das próximas edições, basta ficar ligado na fanpage.

Inspirações natalinas

Este ano estou participando do Amigo Secreto da Equipe SOS Décor. Sabe o DIY Coletivo? O blog já participou de várias edições e agora estamos na última do ano: um amigo oculto de inspiração.

A brincadeira funciona assim: pode brincar todo mundo que já participou de alguma edição da blogagem coletiva. O presente é um post, cada um no seu blog, ensinando a fazer um objeto natalino ou uma decoração natalina inspirado no blog amigo oculto!

Eu adorei a ideia! E nós vamos participar!

A revelação é amanhã, segunda-feira. Então, porque eu estou falando tudo isso hoje? Por que eu separei umas ideias pescadas lá no bom (e não tão velho) Pinterest e resolvi compartilhar com vocês. Quem sabe não inspira vocês a fazerem algo bem legal para o Natal!








As fontes das imagens e mais inspirações estão no meu álbum do Pinterest.

Amanhã, às 19h, o post do amigo oculto estará no ar. Venha conferir!!

Tristeza, por favor, não vá embora.



Eu tenho a impressão de que vivemos em uma época em que todo mundo é obrigado a ser feliz. Isso mesmo, felicidade tornou-se uma obrigação como andar com cinto de segurança ou escovar os dentes antes de dormir. Se você não está feliz, algo de muito terrível está acontecendo com você e, você, precisa mudar isso imediatamente.

Acalme-se, esse não é um texto de apologia à tristeza, tampouco melancólico como os poetas byronianos. Ele é só a expressão de um pensamento.

Todos nós, humanos, fabricados assim desse jeito, temos uma série de sentimentos que se abrigam em nosso ser. Eles estão lá quietinhos, mas vivem em nós. Um deles é a alegria. Outro, a tristeza. Ora um aparece, ora outro. É naturalmente natural.

Não sei se esse é um fato recente de verdade, mas percebo que as pessoas perderam o direito de ficar triste com algo ruim que lhes aconteceu. Por exemplo, se eu perdi um dinheiro na rua, natural que eu fique triste (e que o outro que encontrou o dinheiro fique alegre). Mas tenho a impressão de que esse direito me foi cortado. Cortado às custas de que necessito postar uma foto feliz, com pessoas felizes, em um lugar feliz, fazendo coisas felizes e, de preferência, comendo algo bem feliz também.

Peraí, cara pálida! Quem foi que disse que, por um determinado momento, eu não posso me sentir triste porque me aconteceu algo triste?! Me parece tão óbvio. Mas todos vêem a tristeza como algo ruim e não como algo necessário. Claro que não dá para pegar na mão dela e trazer para morar debaixo do mesmo teto, mas viver um momento de luto diante de algo que lhe incomoda é natural e saudável. É nesse período (que não deve ser prolongado mais do que ele mereça) que refletimos, digerimos tudo o que aconteceu, percebendo erros e acertos. Aquilo que fica e aquilo que sai.

Querer sentir a dor não é uma loucura, fugir da dor é fugir da própria cura.

Se você estiver se sentindo triste hoje, não se sinta culpado por isso. Sinta-se normal. E sinta a sua tristeza, pode desfrutá-la como você se desfrutaria de uma porção de batata frita. Perceba a riqueza que é encontrar-se nesse momento de reflexão. Só não se prenda a isso como a única alternativa para a sua vida. Lembre-se, ora um ora outro.

Tristeza, por favor vá embora. A minha alma que chora, está vendo o meu fim.Fez do meu coração a sua moradia, já é demais o meu penar.
Quero voltar aquela vida de alegria, quero de novo cantar
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger